segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Diferenças entre Umbanda,Candomblé e Kardecismo‏

http://umbandarenovada.ning.com

Sabemos que Umbanda não é Candomblé e nem Kardecismo, a confusão é grande, pois Candomblé é religião de culto aos Orixás e Kardecismo é religião de trabalho com os espíritos, ambas calcadas no fenômeno Mediunidade.

Encontramos na Umbanda aspectos das duas, assim como de tantas outras para um observador mais atento, mas o fato de ter algo em comum não quer dizer que podemos adotar por livre e espontânea vontade as práticas, e filosofias religiosas das mesmas para dentro de nosso terreiro.

Umbanda possui filosofia e práticas próprias, que são observadas e trazidas à luz através dos espíritos guias.

Sim, nós também cultuamos aos Orixás mas,de forma diferente do ancestral culto Africano, pois os vemos sob outro ponto de vista, se fosse para ser igual não haveria de se fundar outra religião simplesmente adotaríamos o "Candomblé de Caboclo", logo quando surgir uma dúvida antes derecorrer ao que é tão funcional dentro do âmbito do "Culto de Nação", espere, consulte e tenha fé que seus guias de Umbanda terão as soluções, dentro e segundo nossas práticas.

Quanto ao kardecismo a maioria de nós Umbandistas tem recorrido a sua vasta literatura para nos esclarecermos quanto "ao mundo dos espíritos" , o que é muito positivo, o movimento kardecista esmiuçou e foi a fundo no estudo do fenômeno Mediunidade, o que nos vale como ponto em comum.

Já a maneira de se trabalhar mediunicamente dentro da Umbanda é única, pois ela vai além do "passe e doutrina", os guias de Umbanda tem extrema afinidade e conhecimento das manipulações de elementos da natureza e processos magísticos, motivo pelo qual possuem toda uma variedade de recursos como ouso do fumo, das velas, ponto riscado, ponteiros, Otás, pedras e cristais, guias, banhos, defumações e etc...



O Kardecismo

Kardecismo é um trabalho iniciado na França com Allan Kardec (Hippolyte Léon Denizard Rivail), que codificou a doutrina espirita em cinco volumes a saber: "O livro dos Espíritos" (abril de 1857), "O Livro dos Médiuns" (janeiro de 1861), "O Evangelho Segundo o Espiritismo" (abril de 1864), "O Céu e o Inferno" (agosto de 1865), "A Gênese" (janeiro de 1868).

No Brasil o Kardecismo tomou maior notoriedade através da obra de Chico Xavier (mais de quatrocentos livros psicografados).

No Espiritismo Kardecista, existe todo um trabalho social voltado para a comunidade, dentro do aspecto religioso podemos dizer que procuram seguir a mensagem de Cristo, segundo a visão espirita, concentrando hoje (no Brasil) boa parte de seus esforços na doutrinação (de encarnados e desencarnados) e passes mediúnicos, crêem na reencarnação e buscam na "lei do carma" a causa, em nossos atos passados, para a situação em que cada um de nós se encontra hoje, segundo nosso merecimento.

Carregam a bandeira de que "fora da caridade não há solução", pregando também reforma intima do ser.


A diferença entre a Umbanda e o Kardecismo

Umbanda é um trabalho de resgate das religiões e tradições naturais, assentada na mediunidade de incorporação e com origem nos próprios Orixás, onde eles aparecem de forma renovada como Divindades de Deus, presente em tudo e todos os lugares, por isso são vistos como "Forças de Deus na Natureza".

Tem nos encantados e naturais a manifestação mediúnica dos Orixás, onde estes manifestam as qualidades dos Orixás se apresentando como representantes dos Orixás.

Parte dos trabalhos de Umbanda se dá na incorporação de espíritos humanos, o que lembra muito o Kardecismo, mas estes se pautam não no código kardecista mas na "Lei de Umbanda" fundamentada no astral.

A Umbanda tem muitas faces e facetas englobando em si muitos aspectos e um dos que mais chama a atenção é sua atuação no campo da Magia, visando combater o mau que a muitos aflige por conta da baixa magia manipulada pelo baixo astral.

A Umbanda assim como o Kardecismo tem em suas práticas um trabalho caritativo e isento das cobranças de ordem material.


Candomblé

Da África: ao contrário do que muitos podem pensar, a religião, na terra mãe dos escravos, aqui aportados, era muito rica e bem diversificada, pois o enorme continente "negro" era todo ele dividido em nações e cada uma tinha seu culto voltado uma ou mais divindades diferenciadas.

A possível classificação que podemos fazer é dividi-la em dois grandes grupos que predominaram aqui no Brasil, dos yorubá (nagô, vindos principalmente da Nigéria ) e djedje (foi em sua maioria do Daomé) onde o primeiro excedia em numero de quase oito vezes maiorque o segundo.

Para mante-los sob controle, costumavam (os senhores de engenho ) , misturar, nas mesmas senzalas, cativos de varias nações, em sua maioria inimigas, tornando-os vulneráveis uma vez que não se entendiam e muito menos se uniam contra seus "donos".

A rivalidade na África, era tão grande que, dispensava maior trabalho ao europeu, uma vez que os negros se escravizavam uns aos outros (os seus prisioneiros de guerra), assim o europeu já os comprava na condição de escravos, a troco de "banana" (até por "cachaça" eles eram trocados mesmo),para vender a peso de ouro.

Para agravar condição dos mesmos foi-lhes concedido o Domingo para que pudessem fazer seus "batuques", pois o governo os via como "um ato que obriga os negros, insensível e mecanicamente em sete dias , a renovar as idéias de aversão recíproca que lhes eram naturais desde que nasceram".

Logo os batuques se transformaram em culto religioso aos Orixás ( que predominou na Bahia) e Voduns (?) aparecem no Maranhão com a Casa das Minas não podia ser como na África onde cada nação cultuava a um Orixá, mas um culto onde se tocava para todos e onde os mesmos se manifestavam deixando no corpo e na alma de seus filhos os axés de amor, coragem e esperança, enquanto incorporados não falavam nada apenas se faziam sentir, suas mensagens vinham através de Ifá, no jogo de Búzios, o mistério da revelação.

Assim surgiu o Candomblé na Bahia, assim os Orixás foram trazidos a nossa terra.



A Diferença entre Umbanda e Candomblé

Mais simples é começarmos dizendo o que há em comum entre a Umbanda e o Candomblé, que é a incorporação mediúnica e o culto aos Orixás, já este renovado pela Umbanda.

Já as práticas e rituais são diferentes, enquanto na Umbanda as consultas são feitas através dos espíritos de caboclo, preto-vélho, baiano, exú... no Candomblé as consultas são feitas através do "jogo de búzios" ou "Ifà", não aceitando a comunicação de espíritos (eguns), sendo portanto vetada sua incorporação, os trabalhos mediúnicos de incorporação contam apenas com a presença de Orixás que também se fazem presente na Umbanda, renovados e sob um outro ponto de Vista .

Esta é a principal diferença, visto que as outras mais são pertinentes da atuação das "entidades guias" em seus trabalhos de Umbanda e dos Rituais Internos do Candomblé.

13 comentários:

Anônimo disse...

acho as duas religiões lindas admiro muito as duas e as vezes é difícil saber se um terreiro é sério ou não eu particularmente sou da umbanda mais tenho curiosidade para saber como funciona o candomblé Beijoss

Thuane Braz disse...

Eu faço parte da Umbanda , mas acho o candomblé lindo e um dia gostaria de fazer parte dele .
Assim como o kardecismo que também já conheci e é de encantar os olhos !

Anônimo disse...

Muito Esclarecedora a matéria. Sou espírita (Kadercista) e tirei minhas dúvidas sobre as diferenças das 3 religiões. As palavras foram muito bem posicionadas. Parabéns pela matéria e que acima de tudo, todos nós possamos seguir sempre respeitando todas as relegiões e sempre conhecê-las antes de tirar qualquer conclusão precipitada. Abraços a todos!!!

Anônimo disse...

Eu frequento a umbanda e a kardecista,gosto muito da doutrina das duas.Elas são religiões lindas.
Bjos!!

Anônimo disse...

Todas são lindas, mais só discordo em dizer que no candomblé só tem consulta com os ifás,Búzios. Também tem consulta com Preto Velho, Caboclo, Exús....Acho que deveria revisar a matéria... Cristiane RJ

igor Gama disse...

Muito esclarecedor seu post, se vc puder respoder a minha questão: Quais são os tipos de guias da Umbamda?

JuniorBiblyo disse...

muito boa sua iniciativa sou de candomblé raspado e catulado, porém já fui de umbanda e tenho minhas entidades da mesma,porem na umbanda que conhecei não a a incorporação de orixá propriamente dito como no candomblé, e isso é bem visto, só a de mensageiros os quais veem nas linhas dos orixás, gostaria q vc também explanasse isso em suas falas, abraços!

Anônimo disse...

Muito Esclarecedor seu post. Parabéns! apenas gostaria de comentar a palavra "carma" que não é um elemento do espiritismo e sim do hinduísmo, já que no espiritismo nossas provas não são apenas um resgate de faltas passadas. Utilizamos o termo Lei da Causa e Efeito.
A Ubanda e o Candonblé são religiões muito ricas! Novamente, parabéns pelo artigo.

Anônimo disse...

Roberta

Eu fui nascida e criada em lar cristão e gostei muiiito destas informações pois os crentes são muito bitolados e não aceitam essa diversidade de crença.

Adooorei me fez entender sobre as diferenças básicas entre elas.

Anônimo disse...

TODAS ESSE RELIGIAO SAO IMPORTANTES,SENDO QUE TEM QUE TER MAIS RESPEITO.O MUNDO E REDONDO E GIRA PARA TODOS.

Sonayra Zanoni disse...

Olá! Muito boa e esclarecedora a sua matéria. Parabens!
Gostaria de saber como podemos identificar se um centro é sério? Pois existem muitos charlatoes por aí... Na umbanda pode cobrar pelos trabalhos??? Exite alguma associação ou federação que regulariza e fiscaliza os centros???

Romes Sousa disse...

Olá! Sonayra, sou espírita mas frequento casas de umbanda. Pelo que sei, UMBANDISTA NÃO COBRA JAMAIS POR TRABALHOS ESPIRITUAIS. ESPÍRITAS TAMBÉM NÃO. Eis a máxima do evangelho: Dai de graça o que de graça recebeis.
Gostaria de perguntar, se alguém pudesse responder se realmente existe sacrifício de animais no Candomblé.

Obrigado, parabéns pelo post.

Romes

Anônimo disse...

Gosto muito dessas matérias que mostram como nossa religião é tão bonita, muitos tem PRÉconceito achando que fazemos somente o mal.
Sou nascida em um lar católico mas ao longo de minha adolescencia descobri o espiritismo e ali encontrei algumas respostas, há uns 3 anos comecei a frequentar um centro de Umbanda muito sério e ali sei que encontrei minha verdadeira religião, ali me sinto em paz.
Convido a todos que nunca tiveram a oportunidade de ir que antes de julgar vá e conheça...
Que Oxalá abençoe a todos.
Axé!